Celebração da Primeira Kathina em Sumedharama – Domingo dia 4 de Novembro de 2018 – com Luang Por Sumedho

 Uncategorized  Comments Off on Celebração da Primeira Kathina em Sumedharama – Domingo dia 4 de Novembro de 2018 – com Luang Por Sumedho
Sep 162018
 

Convidamo-lo/a para a Celebração da Primeira Kathina no Novo Mosteiro, 

no Domingo dia 4 de Novembro de 2018, na qual seremos agraciados com a presença de Luang Por Sumedho.

Nesta ocasião e unindo uma vez mais e de uma maneira muito simbólica o Ocidente e o Oriente teremos também a plantação de duas árvores: a Árvore de Bodhi, simbolizando a Iluminação e a sabedoria do Oriente, e o Sobreiro, árvore nativa de Portugal, típica da região simbolizando a nossa flora original e as tradições ancestrais do Ocidente.

 

 Programa:

9h30Chegada ao Mosteiro (traga uma refeição para partilhar)

10h00 Pedido dos cinco preceitos, seguido de cânticos

10h30Oferta de arroz (Pindapat)

11h00Oferta de refeição aos monges e almoço para a comunidade leiga

12h30 A comunidade oferece o tradicional hábito monástico

13h00  – Luang Por Sumedha planta a Àrvore de Bodhi no Novo Terreno do mosteiro

13h15 – Sua Excelência, o Sr Presidente planta um Sobreiro no Novo Terreno do Mosteiro

13h30 – Sua Excelência, o Sr Presidente faz um pequeno discurso

13h45 – Palestra por Ajahn Sumedho

A partir das 15h00 – Conversa informal com os monges.

————————————————————————

Na época das chuvas (Vassa), na Ásia, (período correspondente ao Verão na Europa) os monges comprometem-se a permanecer num determinado local durante três meses.
Reza a história, que no fim desse período, o Buddha permitiu que os monges procurassem tecido com o qual poderiam remendar o seu hábito antigo ou mesmo fazer um novo. Os tecidos que os monges recolhiam consistiam em trapos que haviam sido deitados fora. Com o passar do tempo as pessoas, apercebendo-se desta necessidade, começaram a pendurar tecido nas árvores para que os monges os pudessem ‘encontrar’. O costume desenvolveu-se então de forma a que não eram deixados apenas pedaços de tecido nas árvores, mas também os hábitos já feitos. As pessoas viram aqui uma oportunidade de fazer ofertas de outros requisitos aos monges, como um gesto de suporte e apreciação da prática destes. Criou-se assim a cerimónia chamada Kathina, sendo este o nome do tear que os monges usam para costurar os seus hábitos com os tecidos oferecidos.
Nesta mesma cerimónia os monges oferecem palestras sobre o Dhamma, havendo também um período onde as pessoas têm a oportunidade de se encontrarem e falarem com os monges de forma mais informal. Neste evento torna-se bastante evidente a interligação da comunidade leiga com a monástica e de como ambas beneficiam desta dinâmica.
 Bem Haja
O Sangha da Floresta
Próxima Meditação Guiada em Belém - Sábado dia 13 de Outubro

Próxima Meditação Guiada em Belém – Sábado dia 13 de Outubro

A próxima Meditação Guiada em Belém (ver localização), terá lugar no dia 13 de Outubro, Sábado, das 18h às 19h. O local das meditações é o pavilhão da antiga ‘Igreja Paroquial De São Francisco Xavier’, entre a Rua Diogo Afonso – 1400 Lisboa  – e a Rua Jorge Álvares, que fica na segunda rua à esquerda, de quem vem do Mosteiro […]

Retiro de Meditação e Silêncio conduzido por Ajahn Vajiro - de 25 a 30 de Setembro

Retiro de Meditação e Silêncio conduzido por Ajahn Vajiro – de 25 a 30 de Setembro

Retiro de Meditação e Silêncio Casa de Retiros de St Inácio   Entre os dias 25 e 30 de Setembro irá decorrer um Retiro de Meditação e Silêncio, orientado por Ajahn Vajiro. Este evento terá lugar na Casa de Retiros de Santo Inácio, em Sintra, e é organizado por Helena Gallis que convidou os monges do Mosteiro Budista Sumedharama […]

Actividades diárias e semanais

Actividades diárias e semanais

No Mosteiro em Fonte Boa dos Nabos – Ericeira as portas estão abertas todos os dias para quem quiser vir meditar e fazer uso do espaço do Mosteiro. A Comunidade Monástica faz as suas duas meditações (pujas) diárias em conjunto às 5h e às 19h30. Todos podem participar. Às Sextas-feiras, após o habitual puja vespertino, um dos monges […]