admin

Meditações em Belém / Lua Cheia / 5 Preceitos às Sextas-Feiras

 Uncategorized  Comments Off on Meditações em Belém / Lua Cheia / 5 Preceitos às Sextas-Feiras
Jul 092014
 

buddha-statue-over-scenic-sunset-sky-background-in-hong-kong-China-1600x1066

  • Informa-mos que durante os meses de Julho e Agosto, não haverá Meditações Guiadas em Belém por razões de reparação do Pavilhão em que ocorrem as mesmas.
  • A partir de hoje no nosso Mosteiro, os Pujas (sessões de meditação) do entardecer, que recaiam no dia de Lua Cheia (consultar aqui o Calendário da Floresta da nossa Tradição – http://forestsangha.org/assets/calendar/2014/FS-Calendar-2014-Desk-POR.pdf  ) terão vigília de meditação que se estenderá até à meia-noite com um pequeno cântico de encerramento.
  • A partir de agora, também, todas as Sextas-Feiras, a seguir à meditação e antes da palestra, o monge superior dará formalmente os ‘5 Preceitos’, como costume na Tradição Budista, a quem quiser receber, assumir e reforçar esses mesmos 5 Princípios na sua vida – 1 Evitar matar quaisquer seres vivos; 2 Evitar roubar o que não foi oferecido; 3 Evitar relacionamento sexual adúltero e promíscuo; 4 Evitar discurso desonesto, mentiroso e traiçoeiro; 5 Evitar qualquer bebida e substância intoxicante que afecta e diminui a consciência.

 

Bem Haja

 Posted by at 23:07
Jun 152013
 

Logo

  • Neste mês de Junho, os residentes do Mosteiro em Pinhal de Frades já se sentem bem estabelecidos, reconhecendo uma gradual resposta positiva das comunidades locais. De momento, o Venerável Ajahn Vajiro encontra-se pelo Oriente, regressando no dia 25 deste mês. O Venerável Appamado ainda está no Nepal, após uma escalada ao Monte Kailash, regressando no próximo dia 17 Segunda-Feira. Venerável Subbhadho deixou-nos no início do mês, indo para Inglaterra, sem data de regresso, pois assuntos familiares requeriam a sua presença, nomeadamente a saúde do pai. O Venerável Dhammiko encontra-se no mosteiro disponível para receber quem queira visitar, usufruindo do espaço, podendo participar nas meditações (Pujas) das 5h e 19h30, ou para algumas questões.
  • Queremos saudar e partilhar o nosso grande agradecimento ao Exmº Sr. Ministro Conselheiro Danai Menabodhi, da Embaixada do Reino da Tailândia, por toda a sua colaboração, boa vontade, ajuda e devoção para com o nosso Projecto do mosteiro Budismo Theravada da Floresta. O Sr. Danai termina o seu serviço em Lisboa e está de partida, no fim deste mês de Junho, para a Tailândia. Deixando o nosso agradecimento e desejo de prosperidade no seu caminho para o Nibbana.
  • Queremos agradecer igualmente a todos, amigos e amigas, simpatizantes e apoiantes da nossa comunidade que nos têm ajudado, sem os quais este projecto e comunidade também não seria possível. Que possamos juntos contribuir, quer leigos, quer monásticos, uma nova Consciência Buddhica que promova a verdadeira liberdade espiritual de toda a Humanidade, a partir da essência que todos somos. Bem hajam pelo apoio e suporte.
  • Tivemos a bênção de ver traduzida para o português, a belíssima edição de Ajahn JayasaroÀ Sua Verdadeira Luz – tradução de Helena Gallis. Aqui fica o link para a apresentação de diapositivos:

Slideshow À Sua Verdadeira Luz (no canto superior esq. do album Picasa – clicar em Slideshow ou Apresentação de diapositivos; depois f11 em cima no teclado). Aqui em Pdf – À Sua Verdadeira Luz.pdf

  • Também em Pdf, nova edição do Dhammapada traduzido do Pali para o inglês por Buddharakkhita e para o português por Dhammiko Bhikkhu, aqui Dhammapada.pdf

  • Por volta do dia 21 de Julho, antes da época tradicional do Vassa (Monção), decorrerá de novo uma Cerimónia Tord Pah Bah (a exemplo do 4 de Novembro de 2012). O intuito será confraternizar e celebrar a entrada da comunidade monástica no Vassa, congregando qualquer generosidade disponível para suportar a vida e a prática dos monges.

——————————————————————————————————————————————-

‘Virá um tempo, em que o poderoso oceano secará, desaparecerá, e não mais existirá. Virá um tempo em que a poderosa Terra será devorada pelo fogo, perecerá, e não mais existirá. Mas mesmo assim, não haverá fim para o sofrimento dos seres que, obstruídos pela ignorância, e enganados pelo anseio, se apressam e se precipitam ao longo deste ciclo de renascimentos.’ Samyutta-Nykaya 22:99

Buddhamontton

Buddhamonthon (Tailândia)

‘Isto na verdade, é a paz, o mais elevado, nomeadamente o fim de todas as formações kármicas, o renunciar de toda a forma de renascimento, o desvanecimento do anseio, do desapego, a extinção, Nibbana.’ Anguttara Nikaya 3:32

‘A extinção da cobiça, a extinção do ódio, a extinção da ilusão, isto é, na verdade, chamado de Nibbana.’ Samyutta-Nykaya 38:01

‘Na verdade, existe uma dimensão, onde nem sequer existe o sólido, nem o fluido, nem calor, nem movimento, nem este mundo, nem qualquer outro, nem sol, nem lua. A isto eu chamo nem surgir, nem passar, nem permanecer quieto, nem nascer, nem morrer. Não existe sequer um ponto de apoio, nem desenvolvimento, nem qualquer base. Isto é o fim do sofrimento’. Udana 8:1

‘Mas uma vez que existe este Não-nascido, Não-originado, Não-creado, Não-formado, é possível sair do mundo do nascido, do originado, do creado, do formado’. Udana 8:3

‘O Caminho que conduz à extinção do sofrimento é o Nobre Óctuplo Caminho, nomeadamente: 1 Entendimento correcto; 2 Pensamento correcto; 3 Palavra correcta; 4 Acção correcta; 5 Sustento correcto; 6 Empenho correcto; 7 Consciência Correcta; 8 Concentração correcta. Este é o Caminho do Meio que foi encontrado por aquele que chegou à Perfeição, que permite tanto ver como saber, que conduz à paz, ao discernimento, à iluminação, ao Nibbana.Samyutta-Nykaya 56:11

‘Na verdade, não existe outro caminho como este para a pureza introspectiva. Se seguirdes este caminho, acabareis com Dukkha (miséria, imperfeição, sofrimento). Mas cada um tem que lutar por si próprio, os Perfeitos (Arahants) somente apontaram o caminho.’ Dhammapada 274-76

Upasiva: ‘Por mim mesmo, Sakyan, sem apoio, jamais me aventuraria a atravessar a poderosa enxurrada. Diz-me, Omnisciente, alguns meios pelos quais eu consiga atravessar’ – perguntou o venerável Upasiva.

Gotama: ‘Consciente de que não existe nenhum laço nem possessão que te possa prender; ajudado pelo conhecimento de que Nada É, atravessarás a enxurrada. Deverás abandonar quaisquer prazeres sensuais e todas as dúvidas; e de dia e noite, com toda a ânsia tranquilizada, firmemente mantém a paz da ausência de tristeza’ – disse Bhagavant a Upasiva.

Upasiva: ‘E para aquele que abandonou todos os prazeres sensuais e todas as dúvidas, para quem a única posse é o conhecimento de que Nada É, que já não mais é enganado pela percepção – permanecerá ele nesse estado?’ – perguntou o venerável Upasiva.

Gotama: ‘Aquele que abandonou todo o prazer sensual e todas as dúvidas, para quem a única possessão é o conhecimento de que Nada É, que já não se deixa enganar pela percepção – ele permanecerá nesse estado’ – disse Bhagavant a Upasiva.

Upasiva: ‘E ele vive nesse estado sem tristeza durante anos, ó Omnisciente. Será ele consciente da existência da sua ausência de tristeza?’ – perguntou o venerável Upasiva.

Gotama: ‘Tal como uma chama que se extinguiu pelo vento não mais pode ser identificada, também assim acontece com o sábio que se liberta da mente e do corpo, não mais pode ser identificado.’

Upasiva: ‘Aquele que jamais pode ser identificado – não existirá mais, ou será ele completo, para sempre existindo? Explica-me isto com precisão, pois é bem compreendido por vós, Nobre Sábio.’

Gotama: ‘Nenhuma medida pode medir aquele que alcançou o alvo: por qual medida é o incomensurável medido? Não há palavras que descrevam o indescritível.’ – Assim disse Bhagavant a Upasiva.” – Upasivamanava Puccha (V, 6)

 Posted by at 14:53
May 182013
 

visakha-puja

Nos próximos dias 24 e 25 de Maio, teremos no Mosteiro em Pinhal de Frades, as Celebrações do Vesak. Este evento, que celebra o Nascimento, a Iluminação e o Parinibbana do Senhor Buddha, ocorre normalmente na lua cheia de Maio, sendo este ano no dia 24 deste mês.

Assim, para aqueles que quiserem participar, teremos o seguinte programa:

  • Sexta feira, dia 24, pelas 19h30:

                – o habitual puja vespertino seguido de uma pequena palestra.

  • Sábado, dia 25:

              – 10h00     Tomada dos Preceitos, seguido de Parittas (Cântico das Protecções).

              – 10h30     Cerimónia do arroz (pindabat) e oferta da refeição.

              – 11h00     Almoço (meal).

              – 13h00    Palestra / Desana (Dhamma talk).

              – Circumambulação/ Circumambulation.

              – Anumodana / Benção / Blessing.

 

Ficam assim todos convidados a participar, podendo desfrutar do ambiente festivo desta ocasião e do espaço do Mosteiro. Teremos a honra de ter a presença de dois monges Tailandeses neste evento.

 

www.sumedharama.pt

 Posted by at 19:44
Jan 102012
 

Ajahn Vajiro e outros monges vão começar a viver em Portugal

(em ‘Looking Ahead’, Amaravati Newsletter)

“[…] Sobre o assunto de generosidade, um dos colaboradores mais significativos para a vida e o bem-estar de Amaravati, nesta última década, estará partindo em breve. Depois da Kathina deste ano, Ajahn Vajiro, que passou os últimos 10 anos vivendo em e ajudando a conduzir a comunidade de Amaravati, planeia seguir em frente.
Ajahn Vajiro chegou a Amaravati em 2001, a convite de Luang Por Sumedho e, no ano passado, um grupo em Portugal, formalmente, convidou-o para ajudar a estabelecer lá um mosteiro. Este convite surgiu na sequência de alguns anos do seu envolvimento no projecto, uma vez que, enquanto em Amaravati, Luang Pô Sumedho pediu a Ajahn Vajiro para ajudar o grupo em Portugal, com a criação da estrutura jurídica para apoiar os monges naquele país. Quando o seu envolvimento começou no projecto, ele disse que ele próprio não tinha a intenção de ir morar para Portugal, no entanto, a vida é cheia de surpresas e a sua ligação com a comunidade budista Portuguesa provou ser uma colaboração muito frutuosa.
Ajahn Vajiro comprometeu-se a liderar a iniciativa por cinco anos. Luang Pô Sumedho apoia o projecto, assim como os Anciãos do Conselho, aqui na Europa: além disso, ambos Luang Pô Liem e Luang Pô Anek, que visitaram recentemente Amaravati na Primavera, expressaram a sua aprovação também. Alguns dos bhikkhus Portugueses da nossa comunidade tencionam fazer parte deste desenvolvimento. Após a Kathina em Novembro deste ano, Ajahn Vajiro tem o compromisso de visitar a Nova Zelândia por seis meses. Com outros compromissos de ensinamento ao longo da sua agenda, Ajahn Vajiro pretende estar de volta ao Reino Unido no início de Julho de 2012. Depois, a partir do início do Vassa de 2012 (Julho), sua intenção é ficar a residir em Portugal. O Sangha de Amaravati deseja expressar a sua gratidão pelo espírito generoso e cheio de energia de Ajahn Vajiro, e por tudo o que tem contribuído para o bem-estar e desenvolvimento do mosteiro ao longo destes muitos anos – e não apenas para este mosteiro, mas para o comunidade budista em geral na Grã-Bretanha. Nós desejamos-lhe boa sorte. […]”

http://www.amaravati.org/abmnew/downloads/pdf/Looking_Ahead_Autumn_2011_A4_web_1.pdf