Jun 152013
 

Logo

  • Neste mês de Junho, os residentes do Mosteiro em Pinhal de Frades já se sentem bem estabelecidos, reconhecendo uma gradual resposta positiva das comunidades locais. De momento, o Venerável Ajahn Vajiro encontra-se pelo Oriente, regressando no dia 25 deste mês. O Venerável Appamado ainda está no Nepal, após uma escalada ao Monte Kailash, regressando no próximo dia 17 Segunda-Feira. Venerável Subbhadho deixou-nos no início do mês, indo para Inglaterra, sem data de regresso, pois assuntos familiares requeriam a sua presença, nomeadamente a saúde do pai. O Venerável Dhammiko encontra-se no mosteiro disponível para receber quem queira visitar, usufruindo do espaço, podendo participar nas meditações (Pujas) das 5h e 19h30, ou para algumas questões.
  • Queremos saudar e partilhar o nosso grande agradecimento ao Exmº Sr. Ministro Conselheiro Danai Menabodhi, da Embaixada do Reino da Tailândia, por toda a sua colaboração, boa vontade, ajuda e devoção para com o nosso Projecto do mosteiro Budismo Theravada da Floresta. O Sr. Danai termina o seu serviço em Lisboa e está de partida, no fim deste mês de Junho, para a Tailândia. Deixando o nosso agradecimento e desejo de prosperidade no seu caminho para o Nibbana.
  • Queremos agradecer igualmente a todos, amigos e amigas, simpatizantes e apoiantes da nossa comunidade que nos têm ajudado, sem os quais este projecto e comunidade também não seria possível. Que possamos juntos contribuir, quer leigos, quer monásticos, uma nova Consciência Buddhica que promova a verdadeira liberdade espiritual de toda a Humanidade, a partir da essência que todos somos. Bem hajam pelo apoio e suporte.
  • Tivemos a bênção de ver traduzida para o português, a belíssima edição de Ajahn JayasaroÀ Sua Verdadeira Luz – tradução de Helena Gallis. Aqui fica o link para a apresentação de diapositivos:

Slideshow À Sua Verdadeira Luz (no canto superior esq. do album Picasa – clicar em Slideshow ou Apresentação de diapositivos; depois f11 em cima no teclado). Aqui em Pdf – À Sua Verdadeira Luz.pdf

  • Também em Pdf, nova edição do Dhammapada traduzido do Pali para o inglês por Buddharakkhita e para o português por Dhammiko Bhikkhu, aqui Dhammapada.pdf

  • Por volta do dia 21 de Julho, antes da época tradicional do Vassa (Monção), decorrerá de novo uma Cerimónia Tord Pah Bah (a exemplo do 4 de Novembro de 2012). O intuito será confraternizar e celebrar a entrada da comunidade monástica no Vassa, congregando qualquer generosidade disponível para suportar a vida e a prática dos monges.

——————————————————————————————————————————————-

‘Virá um tempo, em que o poderoso oceano secará, desaparecerá, e não mais existirá. Virá um tempo em que a poderosa Terra será devorada pelo fogo, perecerá, e não mais existirá. Mas mesmo assim, não haverá fim para o sofrimento dos seres que, obstruídos pela ignorância, e enganados pelo anseio, se apressam e se precipitam ao longo deste ciclo de renascimentos.’ Samyutta-Nykaya 22:99

Buddhamontton

Buddhamonthon (Tailândia)

‘Isto na verdade, é a paz, o mais elevado, nomeadamente o fim de todas as formações kármicas, o renunciar de toda a forma de renascimento, o desvanecimento do anseio, do desapego, a extinção, Nibbana.’ Anguttara Nikaya 3:32

‘A extinção da cobiça, a extinção do ódio, a extinção da ilusão, isto é, na verdade, chamado de Nibbana.’ Samyutta-Nykaya 38:01

‘Na verdade, existe uma dimensão, onde nem sequer existe o sólido, nem o fluido, nem calor, nem movimento, nem este mundo, nem qualquer outro, nem sol, nem lua. A isto eu chamo nem surgir, nem passar, nem permanecer quieto, nem nascer, nem morrer. Não existe sequer um ponto de apoio, nem desenvolvimento, nem qualquer base. Isto é o fim do sofrimento’. Udana 8:1

‘Mas uma vez que existe este Não-nascido, Não-originado, Não-creado, Não-formado, é possível sair do mundo do nascido, do originado, do creado, do formado’. Udana 8:3

‘O Caminho que conduz à extinção do sofrimento é o Nobre Óctuplo Caminho, nomeadamente: 1 Entendimento correcto; 2 Pensamento correcto; 3 Palavra correcta; 4 Acção correcta; 5 Sustento correcto; 6 Empenho correcto; 7 Consciência Correcta; 8 Concentração correcta. Este é o Caminho do Meio que foi encontrado por aquele que chegou à Perfeição, que permite tanto ver como saber, que conduz à paz, ao discernimento, à iluminação, ao Nibbana.Samyutta-Nykaya 56:11

‘Na verdade, não existe outro caminho como este para a pureza introspectiva. Se seguirdes este caminho, acabareis com Dukkha (miséria, imperfeição, sofrimento). Mas cada um tem que lutar por si próprio, os Perfeitos (Arahants) somente apontaram o caminho.’ Dhammapada 274-76

Upasiva: ‘Por mim mesmo, Sakyan, sem apoio, jamais me aventuraria a atravessar a poderosa enxurrada. Diz-me, Omnisciente, alguns meios pelos quais eu consiga atravessar’ – perguntou o venerável Upasiva.

Gotama: ‘Consciente de que não existe nenhum laço nem possessão que te possa prender; ajudado pelo conhecimento de que Nada É, atravessarás a enxurrada. Deverás abandonar quaisquer prazeres sensuais e todas as dúvidas; e de dia e noite, com toda a ânsia tranquilizada, firmemente mantém a paz da ausência de tristeza’ – disse Bhagavant a Upasiva.

Upasiva: ‘E para aquele que abandonou todos os prazeres sensuais e todas as dúvidas, para quem a única posse é o conhecimento de que Nada É, que já não mais é enganado pela percepção – permanecerá ele nesse estado?’ – perguntou o venerável Upasiva.

Gotama: ‘Aquele que abandonou todo o prazer sensual e todas as dúvidas, para quem a única possessão é o conhecimento de que Nada É, que já não se deixa enganar pela percepção – ele permanecerá nesse estado’ – disse Bhagavant a Upasiva.

Upasiva: ‘E ele vive nesse estado sem tristeza durante anos, ó Omnisciente. Será ele consciente da existência da sua ausência de tristeza?’ – perguntou o venerável Upasiva.

Gotama: ‘Tal como uma chama que se extinguiu pelo vento não mais pode ser identificada, também assim acontece com o sábio que se liberta da mente e do corpo, não mais pode ser identificado.’

Upasiva: ‘Aquele que jamais pode ser identificado – não existirá mais, ou será ele completo, para sempre existindo? Explica-me isto com precisão, pois é bem compreendido por vós, Nobre Sábio.’

Gotama: ‘Nenhuma medida pode medir aquele que alcançou o alvo: por qual medida é o incomensurável medido? Não há palavras que descrevam o indescritível.’ – Assim disse Bhagavant a Upasiva.” – Upasivamanava Puccha (V, 6)

 Posted by at 14:53